Início Zona Norte OPERAÇÃO Q.I: Segunda fernandopolense envolvida no esquema deve deixar a cadeia

OPERAÇÃO Q.I: Segunda fernandopolense envolvida no esquema deve deixar a cadeia

Ainda cumprindo pena na Penitenciária de Ribeirão Preto, no regime semiaberto desde setembro do ano passado, de acordo com apuração deste “O Extra.net”, Mônica Bertão se aproxima da liberdade condicional, assim como Marta Colassiol, que está residindo em São José do Rio Preto depois de deixar a Penitenciária Feminina de Santana, no Carandiru, zona norte da Capital, no último dia 1º de fevereiro.

Ambas foram presas em Fernandópolis no dia 15 de junho de 2015 durante a Operação QI, deflagrada pelo Gaeco e Polícia Civil de Ribeirão Preto, a qual desmantelou uma quadrilha que fraudava concursos públicos e processos seletivos em diversas cidades paulistas.     Em resposta à Reportagem, de acordo com o Deecrim 6ª RAJ, a Assessoria de Imprensa do TJ-SP confirmou que “Mônica Aparecida Bertão dos Santos teve sua sentença condenatória expedida em 20 de setembro de 2017.

-- continua depois da publicidade --

A pena de Bertão teve a seguinte capitulação: Reclusão: cinco anos e três meses; Detenção: três anos, dez meses e vinte dias. Total geral: nove anos, um mês e vinte dias. Regimes de reclusão e detenção: Semiaberto”.

Ressaltando que a sentença contra Bertão, por ter sido expedida quando ela já havia cumprido, em regime fechado, um sexto da pena, garantiu o regime semiaberto, o qual ainda cumpre em Ribeirão Preto. Se aproximando de um terço de sua pena total, Mônica Bertão, dentro de aproximadamente 4 meses, poderá usufruir da liberdade condicional.

LEIA MAIS

OPRAÇÃO Q.I : Após quase 3 anos de detenção, Justiça manda solta empresária de Fernandópolis

Fonte:

COMPARTILHE