Início Zona Leste REDE LUCY MONTORO: Conheça as principais lesões e vitimas dos acidentes de...

REDE LUCY MONTORO: Conheça as principais lesões e vitimas dos acidentes de trânsito de Fernandópolis

No mês em que o Movimento Maio Amarelo chama a atenção da sociedade para o alto índice de mortes e feridos no trânsito em todo o mundo, o Serviço de Reabilitação Lucy Montoro Fernandópolis alerta que em 2018, 63% dos atendimentos às vítimas de acidente de trânsito na Rede foram para motociclistas e 37% às vítimas de acidente de carro (motorista ou passageiro).

No total, 80% são homens, com média de 40 anos e 45% das vítimas sofreram amputação. O levantamento aponta ainda que 22% sofreram lesão medular (paraplegia ou tetraplegia) e 33% lesão encefálica.

-- continua depois da publicidade --

Segundo o diretor e médico fisiatra do Serviço de Reabilitação Lucy Montoro Fernandópolis, Flavio Benez, as vítimas de acidentes de trânsito passam por um longo processo de reabilitação e podem ter sequelas para a vida toda. “As consequências não são apenas para o acidentado. Muitas vezes, a deficiência severa pede que alguém da família se dedique à vítima por tempo integral”, completa o especialista.

O Serviço de Reabilitação Lucy Montoro Fernandópolis recebe pacientes de Santa Fé do Sul, Jales e Fernandópolis. A unidade atende casos de lesões medulares, amputações e má-formação, lesões encefálicas do adulto (LEA), traumatismo craniano e acidente vascular encefálico, paralisia cerebral e dor incapacitante.

Os interessados em receber tratamento no Serviço, localizado na Avenida Milton Terra Verde, 451 – Jardim America, Fernandópolis, devem ser encaminhados pelo serviço médico de uma unidade pública de saúde.

Criada em 2008, a Rede de Reabilitação Lucy Montoro conta atualmente com 19 unidades em funcionamento que realizam mais de 100 mil atendimentos por mês. Referência em reabilitação para pessoas com deficiência e doenças incapacitantes, o atendimento é realizado por uma equipe multidisciplinar, composta por médicos fisiatras, enfermeiros, fisioterapeutas, psicólogos, terapeutas ocupacionais, fonoaudiólogos, assistentes sociais e outros profissionais especializados.

COMPARTILHE