Início Zona Norte CLANDESTINOS: Mototaxistas e entregadores que não se atualizaram continuam atuando em Fernandópolis

CLANDESTINOS: Mototaxistas e entregadores que não se atualizaram continuam atuando em Fernandópolis

Os mototaxistas e motofretistas de Fernandópolis que não tenham feito o curso de direção exigido pela lei e nem possuam os equipamentos de segurança  – como antena, proteção para as pernas, coletes com faixas reflexivas e a placa da cor vermelha – estarão oficialmente no status de clandestinos e poderão ter suas motos recolhidas pela fiscalização tanto da Prefeitura Municipal quanto da Polícia Militar.

Acontece que desde o ano passado venceu o prazo para que os mototaxistas da cidade regulamentem toda sua situação – tanto pelas exigências do Denatran quanto pela lei municipal –  para que possam realizar os serviços na cidade.

-- continua depois da publicidade --

Nessa semana uma empresa já foi fechada e a outra segue sob notificação para fins de regulamentação.

O assunto voltou a ecoar na Câmara dos Vereadores de Fernandópolis nesta semana.

PARA CIMA DAS EMPRESAS

É de autoria do Vereador Ademir de Jesus Almeida, requerendo do Prefeito Municipal, informações objetivando esclarecer quais providências estão sendo tomadas com relação à fiscalização dos serviços de mototáxis clandestinos que tem realizado os serviços de forma irregular no município. Segundo o vereador alguns estão operando na clandestinidade prejudicando o sistema de transporte urbano, principalmente daqueles profissionais que já se adequaram as normas de rodagem e a garantia dos passageiros quanto a seguridade. Já o vereador Cidinho do Paraiso sugeriu aplicação de multas direto as agências que contratam motociclistas não cadastradas.

CLANDESTINOS E ENTREGADORES

Enquanto isso, pontos distintos da cidade próximos aos pontos de ônibus circulares- como o terminal rodoviária, a santa casa e a avenida dos expedicionários – continuam sendo alvos primários de fiscalização devido ao fluxo de  transeuntes abordados por esses profissionais clandestinos.

Outro reforço para o setor de fiscalização e para polícia é a contribuição de profissionais do mototaxi, que agora regulamentados, fazem registros constantes de imagens desses pontos de atividade clandestina.

Outro ponto que já foi discutido e deverá ser cobrado é que os motofretistas – ou entregadores –  aqueles que fazem entregas de comida delivery ou transporte de peças e documentos, também estejam adequados as leis previstas aos mototaxistas, sujeito a multa ou apreensão do veiculo.

COMPARTILHE