Início Zona Norte DESDE 2014: Mesmo formando médicos, nenhum quis o lugar dos Cubanos em...

DESDE 2014: Mesmo formando médicos, nenhum quis o lugar dos Cubanos em Fernandópolis

Fernandópolis perderá seis médicos cubanos que trabalham nas unidades de saúde por causa da decisão recente do Ministério da Saúde de não continuar programa Mais Médicos após as declarações do presidente Jair Bolsonaro.

A parceria na cidade segue desde 2014 e o contrato com os profissionais iria até dezembro de 2020. Na época nenhum médico brasileiro se cadastrou no programa para trabalhar nas unidades de saúde do município de Fernandópolis.

-- continua depois da publicidade --

As informações são do Jornal O Extra

Mesmo a cidade formando profissionais da área, nenhum quis continuar por aqui nos anos anteriores. Diversas cidades, principalmente nas áreas do Norte e Nordeste do país, aonde os atendimentos e os recursos são ainda mais precários passaram pela mesma falta de interesse dos profissionais.

EM NOTA

O Governo Federal através do Ministério da Saúde, no dia 20/11/2018 publicou no Diário Oficial da União, um novo Edital Nº 18, de 19 de Novembro de 2018, para adesão de médicos ao Programa de Provisão de Médicos do Ministério da Saúde, onde em seu cronograma tem como previsão, a reposição desses médicos até o dia 07/12/2018, o que inclui Fernandópolis.

“Devido essa situação, informamos que nessas UBS’s citadas, os atendimentos Odontológicos, Farmacêuticos, Aferição de Pressão permanecem funcionando normalmente, porém, os atendimentos Médicos não ocorrerão até o dia 10/12/2018, quando aguardamos ser regularizada essa situação. Casos convencionais de atendimento nessas UBS’s serão remanejados para a UPA”, disse a Secretaria de Saúde da prefeitura que tenta remediar a falta.

REGIÃO

Outras cidades da região também se cadastraram no programa. Estrela d ´Oeste, Indiaporã, Macedônia, Meridiano, Mira Estrela, Populina, Santa Fé do Sul, São João do Iracema, Turmalina, Valentim Gentil e Votuporanga estão entre os municípios que receberam médicos cubanos em 2014.

As 8.517 vagas estão distribuídas por 2.824 municípios e 34 distritos indígenas. O salário é de R$ 11.800,00.

NOVAS TENTATIVAS

Os médicos atuam nas duas equipes da unidade básica de saúde do Caíque e nas unidades do Ipanema, Vila Regina, Santa Bárbara e Antônio Brandini

O Ministério da Saúde informou que começa nesta semana a seleção para contratar profissionais brasileiros em substituição aos cubanos que fazem parte do Programa Mais Médicos.

A expectativa do Ministério é que os médicos brasileiros selecionados nesta nova etapa comecem a trabalhar nos municípios imediatamente após a seleção, o que deve ocorrer ainda este ano.

 

COMPARTILHE