Início Geral Canetada de Bolsonaro decreta o fim das Faculdades de Filosofia e Sociologia

Canetada de Bolsonaro decreta o fim das Faculdades de Filosofia e Sociologia

Enquanto os filhos – e ele próprio – são doutrinados pelo “filósofo” Olavo de Carvalho, Jair Bolsonaro (PSL) decretou pelo Twitter, na manhã desta sexta-feira (26), o fim dos investimentos federais nas faculdades de Filosofia e Sociologia. Segundo ele, o ministro da Educação, Abraham Weintrab quer “descentralizar” investimento no ensino das duas áreas para “focar em áreas que gerem retorno imediato ao contribuinte, como: veterinária, engenharia e medicina”.

Ministro da Educação: “Pode estudar Filosofia? Pode. Com dinheiro próprio”

Para Bolsonaro, os estudos de humanas não “respeitariam o dinheiro do contribuinte” e a educação deve servir para ensinar “leitura, escrita e a fazer conta e depois um ofício que gere renda para a pessoa”.

A função do governo é respeitar o dinheiro do contribuinte, ensinando para os jovens a leitura, escrita e a fazer conta e depois um ofício que gere renda para a pessoa e bem-estar para a família, que melhore a sociedade em sua volta.

“O Ministro da Educação @abrahamWeinT estuda descentralizar investimento em faculdades de filosofia e sociologia (humanas). Alunos já matriculados não serão afetados. O objetivo é focar em áreas que gerem retorno imediato ao contribuinte, como: veterinária, engenharia e medicina”.— Jair M. Bolsonaro (@jairbolsonaro)

GURU DO PRESIDENTE

O ‘intelectual’ que guia os passos do novo governo já foi astrólogo, esotérico e ficou famoso com as teorias delirantes ( até uma de que a Pepsi Cola está usando celulas de fetos abortados como adoçante, e isso mesmo).

É ele o grande propagandeador de uma teoria seminal do bolsonarismo: há um domínio de esquerda na imprensa, universidades e elite financeira do Brasil, cuja missão é ‘destruir a família e os valores tradicionais’. E só um retorno aos tempos da palmatória, do chicote e da decoreba podem salvar o país. Tudo isso seria parte de um grande complô mundial, é claro. Esse e Olavo de Carvalho e o discurso comprado por milhares de brasileiros que apostaram nos discursos alegoricos de ordem.

COMPARTILHE