Início Zona Oeste Entenda como funciona o projeto da Nova Rodoviária de Fernandópolis

Entenda como funciona o projeto da Nova Rodoviária de Fernandópolis

Os prédios do Fórum Municipal, sede do Poder Judiciário e o Palácio 22 de Maio, sede do Poder Legislativo, próximos um do outro sempre chamaram a atenção do prefeito André Pessuto durante sua passagem como vereador na cidade, e o projeto de criar a área dos 3 Poderes sempre esteve latente. Porém sai administração e entra administração, os gestores pareciam não levar a sério as propostas de parcerias publico e privadas que andaram salvando muitas das administrações.

LICITAçÃO

-- continua depois da publicidade --

Uma construtora fernandopolense será a responsável pela construção do novo Terminal Rodoviário da cidade. A Engerb Construções e Incorporações foi a única empresa a apresentar proposta na licitação realizada hoje, 5, no Paço Municipal. A construção da nova Rodoviária, mais moderna e de menor proporção, tem como finalidade desocupar a atual para que ela se torne o novo Paço Municipal, após passar por uma reforma. Para tal, o município conseguiu um empréstimo de R$ 5 milhões junto ao Finisa -Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento – da Caixa Econômica Federal. A empresa vencedora ofereceu pegar a obra por R$2.699.999,99. O restante do recurso será utilizado para a reforma e adaptação do antigo Terminal, que deve ser iniciada apenas após a conclusão da primeira obra.

 

PARCERIA COM O EMPRESARIADO

A primeira ideia foi a construção de um imóvel na área onde hoje abriga a Delegacia da Mulher e o Tribunal de Contas, aos fundos da Rodoviária. Projeto caro, que custaria milhões aos cofres públicos, mesmo resolvendo parte do problema dos alugueis e espaço físico para secretarias.

A ideia então foi justamente acionar a iniciativa privada para uma parceria e ter no Prédio da Estação Rodoviária, o lugar ideal para no novo Paço Municipal. Sendo uma área totalmente sustentável, visto que as taxas de embarque e alugueis fazem muito dinheiro correr por ali, o próximo passo é afinar com empresários a readaptação do imóvel e encontrar um novo local para a construção de um novo terminal que seria arrendado até então. Sem custo nenhum para a prefeitura. Isso ainda garantiria a possibilidade de angariar mais fundos para o pagamento do IPREM, cuja divida via herança administrativa circula em R$ 28 milhões.

UMA NOVA PREFEITURA E ABATENDO DIVIDAS

Uma nova prefeitura, abrigando as secretarias, com acessibilidade, estacionamento e custo zero, enquanto um nova rodoviária, sustentável, reformada, com adaptações e possivelmente novas empresas e linhas viárias, seriam de grande valia para o município. Resta ganhar a confiança do empresariado.

 

 

 

 

COMPARTILHE