Início Vizinhos Vereador que disse que gays vão para inferno avalia pedido de desculpa

Vereador que disse que gays vão para inferno avalia pedido de desculpa

O vereador de Mirassol Carlos Divino de Souza (PTB), conhecido como Mineiro, disse na tribuna da Câmara, durante sessão que debatia o Dia da Consciência Negra, que os casais gays vivem no pecado e vão “para o inferno” . Um vídeo com a posição do vereador ganhou repercussão nas redes sociais durante essa semana. “Casar homem com homem e mulher com mulher isso não existe. Isso é pecado. E vai para o inferno aqueles que estiverem nessa situação. Já está com a passagem comprada”, afirmou.

Mineira afirmou que vai consultar o seu advogado para decidir se irá pedir desculpas ou não durante a sessão da próxima segunda-feira, 27. “Ali foi uma opinião dentro da palavra de Deus que condena. Nem o próprio Deus é contra porque dá o livre arbítrio. Cada um escolhe o que quer ser”, afirmou o vereador. “Não tenho nada contra. Tenho amigos gays. Amigos pecadores, assim como sou também. Coisa tão simples. Segunda-feira, possivelmente, vou me desculpar com as pessoas que são meus amigos e são gays”, disse.

-- continua depois da publicidade --

Ele, no entanto, vai avaliar se “há necessidade” de perdir desculpas. “A Tribuna é livre. A opinião nossa pode ser dada na Tribuna conforme eu creio”, afirmou o vereador que é evangélico, mas admitiu que não se deve misturar política e religião. “Cada um tem a sua opinião”.

Para Mineira, ele não ofendeu ninguém. “Não estou ofendendo ninguém. Não citei nomes. O que eu falei sei que não há razão para ofender ninguém”, disse o vereador do PTB em entrevista ao Diário ao dizer que deverá tomar mais cuidado com o conteúdo dos seus discursos nas próximas sessões na Casa.

Oos vereadores vão se reunir para discutir uma possível punição ao colega. Ele já cogita, por exemplo, uma advertência.

Sessão 

Durante a sessão realizada na segunda-feira, 20, Dia da Consciência Negra, Mineiro disse que a opção pelo casamento gay leva a uma vida no  pecado e leva a pessoas a ter passagem comprada “para o inferno”.

“Eu respeito quanto a gays, todas as situações que você falou, mas o projeto que lançou sou totalmente contra, assim como Deus é contra. Eu tenho um cabeleireiro na família, ele faz a barba do meu sogro, corta o cabelo do meu neto. Ele é respeitado, o considero bastante, falo direto para  sobre o amor de Jesus, e da forma que ele vive, que é errado. Amo ele, respeito ele, mas não amo o pecado dele, está errado”, disse o vereador.

Fonte:

COMPARTILHE