Início Vizinhos Prisão de ex-prefeitos pode iniciar devassa de investigações na classe politica regional

Prisão de ex-prefeitos pode iniciar devassa de investigações na classe politica regional

“A Prisão dos dois ex-prefeitos pela Polícia Federal é apenas o ‘fio da meada’ As prisões dos ex-prefeitos Odair Vazarin-PSD e, sobretudo, de José Massoni-PTB (Guarani D´Oeste e Turmalina respectivamente), na manhã da última terça-feira, 07, catalisou intensas preocupações em ex e atuais gestores na região.

Explicando!

-- continua depois da publicidade --
-- continua depois da publicidade --
-- continua depois da publicidade --

A detenção do primeiro fora fundamentada em inúmeros preceitos jurídicos, com farta capitulação nos artigos do Código Penal: Associação criminosa, apropriação indébita previdenciária, peculato e até estelionato, dentre outros. Ele é acusado de simulações de contratos, pagamento indevido de verbas trabalhistas, pagamentos superfaturados a servidores municipais e por ai vai, até atingir uma somatória estimada pela Polícia Federal em R$ 4 milhões (altíssima para os padrões arrecadatórios do município).

Mas até cá, parece-se uma ação isolada, circunscrita a um município e um gestor. Porem a “coisa” pega no segundo. 

Ojeriza geral: políticos atuais e passados da região certamente serão investigados

À primeira vista, Massoni acabou “rodando” junto por simplesmente ter seu nome envolvido num dos contratos contestados: o de R$ 130 mil para prestação de serviços de “repatriação”, para o município de Guarani D´Oeste, de verbas retidas pelo governo federal e que seriam, posteriormente, devolvidas à Prefeitura. Eis aqui a expoência do problema e que se tornou a principal mira da operação da PF.

Dezenas de contratos similares ao subscrito pelo então prefeito guaraniense e a empresa de Massoni foram formalizados na região por vários ex-prefeitos (uns deles reeleitos(as) e atualmente no cargo). Alguns com valores superiores, outros similares e poucos menores. Até mesmo uma instituição de ensino superior da região fez o mesmo.

Resumindo palavras ecoadas na Superintendência da PF jalesense, “Odair pode ter sido só o boi de piranha”. Um amplo e não quantificável escândalo regional se avizinha no horizonte”.

Leia a coluna ENTRELINHAS completa na edição do último fim de semana do Jornal O Extra

Fonte:

COMPARTILHE