Início Vizinhos Policial Civil de Fernandópolis morre após ser baleado por PM em...

Policial Civil de Fernandópolis morre após ser baleado por PM em discussão de bar

Segundo informações do Jornal o Extra do último fim de semana, o policial civil Eduardo Teixeira Moreno, 27 anos, faleceu após discussão com um bancário em frente ao Chopão  Restaurante, na avenida Murchid Homsi, na Vila Ercília em São José do Rio Preto.

 

-- continua depois da publicidade --

No boletim de ocorrência, testemunhas disseram ele parou de moto em frente ao bar e começou a acelerar, fazendo muito barulho.

Os clientes teriam começado a aplaudir, em “tom de deboche”. Foi quando Eduardo teria sacado uma pistola e atirado contra um deles. Eduardo acertou um bancário, que foi baleado e levado para um hospital, mas passa bem.

O policial militar também estava no bar com amigos e familiares, de folga, mas armado. Testemunhas disseram para a polícia que ele pediu para Eduardo soltar a arma. Mas Eduardo atirou contra o policial militar, que não foi atingido.

O PM revidou e acertou um tiro em Eduardo, que morreu no local. As duas armas usadas no crime foram apreendidas pela Polícia Civil, que vai investigar o caso

Moreno, que trabalhava no Instituto de Criminalista de Fernandópolis (auxiliar de necropsia), acabou falecendo no local. O bancário que não teve seu nome revelado foi socorrido ao hospital Austa  e o policial militar foi conduzido à Central de Flagrantes onde foi autuado por homicídio.

PM Será INVESTIGADO

Polícia Militar vai investigar a conduta do PM . “O policial militar ainda é alvo de investigação, toda situação criminal é investigada. Há indícios de que o PM agiu em legítima defesa, mas uma vida se foi, houve uma morte. Isso requer uma análise detalhada para que todos respondam pelos atos que cometeram”, afirma o capitão da Polícia Militar Rafael Helena.

O policial militar Luís Carlos Fragoso, de 52 anos, foi ouvido no sábado no fórum de Rio Preto, durante uma audiência de custódia, e depois liberado. A Justiça entendeu que ele agiu em legítima defesa.

O policial militar também estava no bar com amigos e familiares, de folga, mas armado. Testemunhas disseram para a polícia que ele pediu para Eduardo soltar a arma. Mas Eduardo atirou contra o policial militar, que não foi atingido.

O PM revidou e acertou um tiro em Eduardo, que morreu no local. As duas armas usadas no crime foram apreendidas pela Polícia Civil, que vai investigar o caso. O perito Eduardo Teixeira Moreno será enterrado em Cachoeira de Itapemirim (ES), onde mora maior parte da família dele.

COMPARTILHE