Início Zona Leste Policia na Rua: Presença constante da PM força o fernandopolense a se...

Policia na Rua: Presença constante da PM força o fernandopolense a se adaptar a nova cultura de trânsito

Muita gente torceu o nariz. Mas muita gente também aplaudiu a nova ordem da Policia Militar de Fernandópolis nos fins de semana. Nunca se viu tanta seguridade, principalmente na região central de Fernandópolis. As principais avenidas e o entorno dos bares receberam durante horas a fio a visita de viaturas policiais que coibiram os excessos de velocidade e de som automotivo além do abuso de motoristas alcoolizados. Além disso trouxeram de volta a paz e a calmaria para quem mora no centro da cidade.

Não se vê mais  por exemplo, menores consumindo bebidas tão abertamente ao longo da avenida,nem os chamados “carros Boate” que incomodavam todos impondo o som alto na mesma via. Até os comerciantes, se adaptaram e agora seguem a risca sobre as normas de permanências nesses locais.

OS CHORÕES

-- continua depois da publicidade --
-- continua depois da publicidade --
-- continua depois da publicidade --

Alguns se manifestaram contra as rondas e blitzes, principalmente em redes sociais como o Facebook e Whatsapp. Grupos foram criados na tentativa de avisar quem estava bebendo na rua que haviam viaturas em pontos estratégicos da cidade. Outros reclamavam que a coisa toda virou uma indústria de multas.

VERDADE SEJA DITA

Se algum motorista bebe, bate o carro e mata alguém, a polícia é cobrada e taxada de ineficaz. Se faz uma blitz e coíbe esse tipo de comportamento, é taxada de folgada, pois deveria estar à procura de bandidos. Se multa algum motorista que ingeriu bebida antes de provocar um acidente, é chamada de hipócrita, pois a maioria são pobres e blábláblá…

MUDANÇAS

Quem anda na linha e obedecer às regras, não passa por nenhum dissabor com a polícia. Esse é o principal argumento. A verdade é que a presença constante da policia pede uma mudança de comportamento da população. E não adianta chorar.  A despeito de cidades mais cosmopolitas, como é o caso da vizinha, São José do Rio Preto, onde as blitzes são constantes, há uma preocupação por parte da população em receberem multas ou ficarem limitados ao transporte, por isso é comum a escolha de um motorista que não beba para seguir os trajetos noturnos. Na falta de um terceiro ou segundo elemento que não beba, muitos optam pelos serviços de táxis.

COMPARAÇÃO INEVITÁVEL

Compara-se muito o desenvolvimento da cidade vizinha Votuporanga com Fernandópolis, porém os discursos ficam restritos as padarias e rodas de botecos, uma já por lá a prefeitura de lá já acionou o  IPEM (Instituto de Pesos e Medidas) para o inicio do processo de aferição dos taxímetros instalados nos táxis que operam em Votuporanga. Enquanto por aqui os serviços de táxi são cobrados de acordo com a cara do cliente. E essa mudança vai afetar a todos, mas de maneira muito positiva.

E AS MULTAS?

O Superintendente de Trânsito explica:Não é dos policiais. Se Há multa é porque existe alguém infringindo lei.

COMPARTILHE