Início Zona Oeste Fiado: com a crise venda baseada na confiança e amizade cresceu na...

Fiado: com a crise venda baseada na confiança e amizade cresceu na cidade

“Fiado somente para maiores de 90 anos, desde que acompanhados dos pais”. A famosa brincadeira, comum nos estabelecimentos populares, não está mais tão exigente. Essa modalidade de venda, baseada sobretudo na confiança e na amizade, voltou com força total neste ano, em razão da redução no poder de compra.

Pesquisa do Sebrae descobriu que um a cada três estabelecimentos localizados nos bairros vende dessa forma no dia a dia. Os valores devidos pelo consumidor são anotados na famigerada ‘caderneta’.

-- continua depois da publicidade --

De forma inteligente, pequenos comerciantes de Fernandópolis instalam máquinas que aceitam cartão para oferecerem mais opções. Quando alguém lança a ideia do fiado, o comerciante responde que aceita cartão, isso inibe o fiado e dá mais possibilidades de viabilizar a compra.

Para mim, foi uma boa. As vendas neste ano cresceram 20% no débito e crédito. As pessoas realmente estão sem dinheiro.”, diz Arnaldo Alves, dono de uma mercearia na Zona Oeste da cidade. “Além de amizade e confiança, fiado exige responsabilidade tanto de quem compra como do comerciante. Só assim será construída uma relação comercial duradoura. Nossos clientes são mais amigos e vizinhos do que clientes mesmo”, conta.

caloe fiadoAção incentiva compra perto de casa

O Sebrae lançou recentemente a campanha ‘Compre do pequeno’ para incentivar o consumidor a fazer suas compras do dia a dia em estabelecimentos comerciais perto de suas casas. A ação é uma forma de mostrar a necessidade de valorizar o comércio do bairro e manter o dinheiro ‘circulando’ na economia local.

Os pequenos empreendimentos representam mais de 95% das empresas existentes em nosso país. Geram 52% dos empregos formais e 27% do PIB segundo o Sebrae.

Além das facilidades, comprar das empresas instaladas no bairro contribui para o fortalecimento da economia em sua região. Isso faz com que essas empresas gerem mais empregos, o que vai resultar em distribuição de renda em sua rua, região e até cidade.

BOM NEGÓCIO PARA AMBOS

Para o consumidor, outras vantagens, é ser melhor atendido, conhecer o dono da loja e buscar melhores negociações de preço, prazo e entrega. Conhecer o empresário, aliás, ajuda também até mesmo na hora do ‘sufoco’, quando a compra no sistema de fiado é a única opção.

Para o comerciante, conhecer bem seu público ajuda na hora de entrar em contato para oferecer serviços e comunicar suas ofertas. Um ponto fundamental para o sucesso de qualquer empresa é a forma como ela se relaciona com seus clientes. Com essa proximidade, o empresário também se beneficia bastante. Essa relação só traz bons resultados no final.

 

 

COMPARTILHE