Início + Lidas Deputado da Tatuagem tem mandado cassado e responderá por assédio sexual

Deputado da Tatuagem tem mandado cassado e responderá por assédio sexual

O Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA) confirmou, por votação unânime, a cassação do mandato de Wladimir Costa (SD-PA). A defesa de Wlad perdeu o prazo para entrar com recurso ordinário contra decisão anterior, tomada pelo mesmo tribunal, em julho de 2016. Resta ao parlamentar recorrer em Brasília, junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Wladimir Costa declarou que gastou R$ 642 mil durante sua campanha, mas segundo o MPE, ele deixou de declarar R$ 150 mil em material gráfico, além de mais de R$ 100 mil em despesas efetuadas entre julho e setembro do ano eleitoral de 2014.

-- continua depois da publicidade --
-- continua depois da publicidade --
-- continua depois da publicidade --
-- continua depois da publicidade --

Durante 2 anos – de fevereiro de 2003 a março de 2005 – a Câmara dos Deputados depositou altos valores em salários, vales refeição, férias, entre outros ganhos nas contas criadas na Caixa Econômica Federal para 3 funcionários. No dia do pagamento, esses “laranjas” eram obrigados a ir à boca do caixa, sacar o dinheiro e entregar toda a quantia nas mãos do irmão, Wlaudecir, que então depositava o dinheiro na conta do deputado. O valor total desviado pode ser superior a R$ 210 mil, num período de 2 anos.

Essa ação penal está conclusa ao relator, ou seja, também pode ser julgada a qualquer momento pelo STF. Wladimir pode ser condenado a até 12 anos de prisão por crime de peculato

ASSÉDIO SEXUAL

Depois de ser denunciado por assédio no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados, o deputado Wladimir Costa (SD-PA) afirmou que não entrará com recurso contra a denúncia e pediu desculpas à jornalista Basília Rodrigues, da rádio CBN, que o acusou.

Nesta quarta-feira, o PSB protocolou uma representação no Conselho de Ética contra o deputado.  – Eu tenho convicção que eu não cometi qualquer deslize na ética parlamentar. Eu fui membro do Conselho de Ética e sei o que é decoro. Em momento algum faltei com o respeito à jornalista. Na minha opinião, ela quer holofotes. Foram diversas abordagens de diversos repórteres me pedindo para mostrar a tatuagem. Levei tudo na esportiva, na brincadeira.

Nesse dia, quando ela me abordou e pediu para mostrar, em momento algum falei que iria ficar nu ou me despir para ela. Falei em tom de brincadeira porque tenho diversas tatuagens: “Para você eu mostro tudo”. Não estava dizendo que faria ‘nudes’. Acho que ela pode ter interpretado mal minha resposta. Mas ela me pediu para mostrar a tatuagem diversas vezes. Se eu interpretasse mal o fato dela pedir para eu tirar a roupa e mostrar o desenho, eu poderia denunciá-la por assédio? – disse.

 

COMPARTILHE