Início Zona Norte CASO SEMEGHINI: Filhos do médico pedem indenização de R$ 2,6 milhões do...

CASO SEMEGHINI: Filhos do médico pedem indenização de R$ 2,6 milhões do pai

A Justiça de Fernandópolis começou a intimar testemunhas em uma ação por danos e responsabilidade civil (dano material e moral)movida pelos filhos de Simone Maldonado contra pai, o médico Luiz Henrique Semeghini, preso por matar a esposa em 2000. Ele cumpre pena no presídio em Tremembé, região do Vale do Paraíba. O valor da ação é de R$ 2.640.000,00, cujo feito tramita na 1ª Vara Cível de Fernandópolis.

De acordo com a ação, os três filhos com o objetivo de resguardar os seus interesses, tentam que o pai continue a dilapidar o patrimônio e adquirindo outros bens em nomes de terceiros

-- continua depois da publicidade --

Segundo os autos médico está dispondo dos seus bens, o qual não ficará com quaisquer outros bens livres e desembaraçados que possam garantir o futuro crédito dos filhos.

SOFRIMENTO EMOCIONAL E MATERIAL

A matéria não diz respeito ao direito hereditário, mas ao sofrimento material, intelectual e emocional, e às perdas dos filhos, provocadas pelo ato ilícito pai. Após o assassinato, em momento algum o pai, de acordo com a ação, preocupou-se em auxiliar na cobertura das despesas decorrentes do seu ato, recusando-se a tomar conhecimento da difícil situação financeira, intelectual e emocional em que ficaram os filhos, os quais ficaram desamparados em face da ausência de sua mãe, contando apenas com a ajuda de seus avôs.

Outro prejuízo material sofrido pelos filhos é o fato dele ter negado se nega a arcar com os alimentos necessários, em especial com os custos dos estudos de dois dos três filhos,  os quais, se viram obrigados a moverem ações de alimentos, conforme se comprova a documentação em anexo (andamento dos processos de execução de alimentos), ainda pendente de pagamento.

Os autores ainda sofreram danos materiais no tocante aos gastos com tratamento psicológicos que se diga estes que perduraram pela vida inteira.

DANOS MORAIS E INDENIZAÇÃO

“A fixação de valores indenizatórios pelos danos morais causados, por certo não diminui a dor e o sofrimento sentidos por uma família, que é privada de um ente querido, no caso, a mãe, uma das provedoras do sustento do lar. Isso não faria voltar aos seus convívios a vítima, mas, por outro lado, traria segurança e conforto aos filhos que se viram desamparados com a ausência materna. Apesar de ser por demais claro, que a vida humana não tem preço, torna-se medida de justiça a indenização pelo causador do falecimento”, escreveu a ação.
Além disso, recentemente o  pai teria se desfeito de uma propriedade rural General Salgado.

A pena do médico deve terminar ainda neste ano.

Fonte:

COMPARTILHE