Início Saladera “Bromossexuais” – Quando seu melhor amigo é gay!

“Bromossexuais” – Quando seu melhor amigo é gay!

Por muito tempo, as amizades entre homens gays e heterossexuais – o que muitos chamam de “bromossexuais” (bro = amigo) – eram tidas como incomuns.

A homofobia, provavelmente, era um dos motivos principais para tal constatação. Por outro lado, há que acreditasse que a falta de interesses em comum poderia ser o principal fator. No entanto, em um artigo para o The Conversation, pesquisadores afirmaram que esse cenário mudou e que, ultimamente, essas amizades começaram a receber mais atenção, aceitação e interesse.

-- continua depois da publicidade --
-- continua depois da publicidade --
-- continua depois da publicidade --
-- continua depois da publicidade --

Tal normalização e aceitação são uma boa notícia, uma vez que reduzem a intolerância. No entanto, cientistas ainda não haviam estudado a dinâmica por trás dessas amizades: por que se desenvolvem e como são mantidas.

Falando sobre uma pesquisa ainda em andamento, os cientistas revelaram que exploraram alguns dos resultados positivos das amizades, incluindo a teoria proposta de que gays e héteros podem ser ótimos companheiros. A amizade entre gays e heterossexuais sempre existiu, mas de fato sempre houve muitos obstáculos. Muitos dos homens hesitavam em fazer amizades com gays porque temiam assédio e rejeição por parte de outros companheiros heterossexuais mais intolerantes. No entanto, a crescente aceitação da homossexualidade atenuou alguns destes medos, embora ainda existam algumas barreiras.

A CIÊNCIA POR TRAZ DO FATO

Ian McKellen Patrick Stewart e  ilustram perfeitamente como o bromosexualismo funciona (e muito) bem!

Homens gays, particularmente os que vivem em ambientes mais conservadores, permanecem cautelosos em relação a esse tipo de amizade, porque temem uma rejeição que há muito é alimentada por preconceito. Há de se considerar ainda, que a noção tradicional de que homens gays e héteros não podem se relacionar como amigos íntimos é inerentemente homofóbica e falsa.

Logo, os cientistas propuseram que amizade não só é possível como também pode evoluir para ser extremamente gratificante. Então, ao invés de se concentrarem nos fatores que impedem a amizade, eles resolveram focar no motivo pelo qual elas têm potencial de se formar e prosperar. De certa forma, quando se trata de amizades “bromossexuais”, a responsabilidade maior sempre recai ao homem heterossexual. Se eles possuem uma mente mais aberta e fazem um esforço para tentar a relação, então os homossexuais se sentem mais confortáveis em responder de maneira recíproca.

As amizades também são fortalecidas quando ambos os lados revelam informações pessoais, que podem incluir a discussão sobre experiências sexuais. Também, a capacidade de dar e receber conselhos poderia fomentar ainda mais o sucesso da relação. Por outro lado, porque as mulheres costumam confiar mais nos conselhos dos gays, eles tendem a ser bons “copilotos” quando o assunto é paquera. Por exemplo, um gay poderia atestar as boas intenções de seu amigo heterossexual diretamente para uma mulher, enquanto o mesmo não funcionaria com eficácia se ambos os homens fossem heterossexuais.

Por fim, os pesquisadores acreditam que ter um confidente para ajudar nas buscas românticas é uma das principais razões para que os homens gays e héteros embarquem em uma amizade “bromossexual”.

COMPARTILHE