Início Zona Leste Água Viva Thermas Clube de Fernandópolis começa dar suspiros de uma breve...

Água Viva Thermas Clube de Fernandópolis começa dar suspiros de uma breve recuperação

A nomeação de um administrador judicial para o Thermas do Anhanguera, mantenedor do Água Viva, em Fernandópolis, começou a contabilizar dividendos financeiros. Desde que assumiu o clube em abril, do ano passado, Marcos Fontes, contador judicial, começou a impor uma administração mais atualizada e realística. As informações são do EthosOnline

Em 2016, o clube contou com um prejuízo de mais de R$ 386 mil. No entanto, Em janeiro deste ano foram mais de R$ 28 mil em lucros. De janeiro até março, mais de R$ 52 mil. O grande entrave do clube, que ainda está à venda, são as reclamações trabalhistas, deixadas por outras administrações. O clube gasta com folha de pagamento R$ 170 mil. Com 1,7 mil associados (tipo day use), ajudam a manter o clube. Mesmo com prejuizo do em 2016, o clube arrecadou R$ 260 mil. Em fevereiro deste ano, mais de R$ 287 mil.

-- continua depois da publicidade --
-- continua depois da publicidade --
-- continua depois da publicidade --

No ano passado, o juiz titular da 1ª Vara Cível de Fernandópolis, Fabiano da Silva Moreno, nomeou o contador Marcos Antônio Fontes como novo administrador judicial do Thermas do Anhanguera, mantenedor do Água Viva, clube social e de lazer que conta com cerca de 2 mil associados. O clube, segundo a justiça, está em processo de recuperação judicial e falência.

O engenheiro civil Fernando Jesus Caldas avaliou a área em R$ 13 milhões Ao todo, são R$ 2.944.688,50 o valor da terra nua e R$ 10.088.340,50 sobre as edificações. A intenção do contador é sanar todos os problemas financeiros e impedir gastos para recuperar o clube, criado na década de 70.

Marcos Antônio Fontes disse que com gerência o Thermas é viável. A homologação do contador está amparada no artigo 24 da lei de recuperação judicial e falência.

Em 2014, o juiz da 1ª Vara Cível de Fernandópolis, Evandro Pelarin, homologou o plano de recuperação judicial do Thermas do Anhanguera S/A, nos termos da Assembleia Geral de credores realizada em 26 de junho de 2013, que passou a fazer parte do plano já aprovado e que fundamentou a recuperação judicial concedida.

 

fonte:

COMPARTILHE